APLICAÇÃO DA AUDITORIA BASEADA NOS PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

 

Os quais vão nortear o entendimento do auditor durante a realização dos seus trabalhos e devem permanecer na mente do auditor enquanto estiver executando a auditoria

 

Cabe ressaltar que os princípios do direito do trabalho não estão escritos em Leis,  Instruções ou Portarias, mas estão presentes no dia a dia nas relações de trabalho, conforme a doutrina elenca.

 

Nesta fase do trabalho o auditor vai aplicar o procedimento de auditoria chamado OBSERVAÇÃO, no qual acompanha e observa a rotina no dia-a-dia dos colaboradores da empresa.

 

As anotações do auditor serão seus papéis de trabalho, fruto de sua observação nos setores empresariais.

 

1. PRINCÍPIO IN DÚBIO PRÓ-OPERÁRIO

 

Também chamado in “dúbio pró-mísero”.

 

A Lei protege sempre o empregado, mesmo contra a vontade dele. No caso de dúvida decide-se em favor do empregado. Age em favor do empregado pelo desnível social e quando a demonstração dos fatos não é clara possibilitando uma opção em benefício do economicamente mais fraco.

 

Podemos fazer uma analogia com o direito penal in dúbio pró-réu, havendo dúvida favorece o réu.

 

Entre duas ou mais interpretações viáveis, vale a mais favorável ao funcionário.

 

Não confundir com ônus da prova, quem alega deve provar, para isso há a prova testemunhal.

 

Este princípio não esta relacionado com dúvida probante – se há dúvida não há prova – mas a critérios de interpretação, até porque, quando o empregado aciona a justiça do trabalho, está representado por seu advogado como a outra parte, bem como o juiz é neutro no conflito. Portanto não há o quê se falar em desigualdade entre as partes.

 

2. PRINCÍPIO NORMA MAIS FAVORÁVEL

 

Havendo mais de uma norma ou regra aplicável, há de se optar pela mais favorável ao empregado, exceto se houver proibição por norma de ordem pública.

 

Normalmente ocorre nos conflitos de leis e normas, onde se aplica a mais favorável ao empregado.

 

A exceção deste princípio é a CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, a qual é assinada pelo sindicato representativo da classe trabalhadora, mediante assembléia onde os empregados votam contra ou a favor da cláusula em questão, e pelo sindicato dos empregadores e homologada pelo Ministério do Trabalho. Portanto há um equilíbrio real entre o sindicado dos trabalhadores e empregadores, descaracterizando a hipossuficiência (fraqueza) do funcionário e mesmo havendo uma potencial perda para o empregado,  este ganhou em outra cláusula, até porque a Convenção Coletiva é acordada  por prazo determinado (anual ou no máximo 02 anos) e a partir daí tudo novamente deve ser  discutido em outra Convenção. 

 

Exemplo: reduzido o vale alimentação de R$ 300,00 mensais, para R$ 100,00, em contrapartida não haverá demissões na vigência da Convenção que é de 01 ano, em função que a empresa passa por dificuldades econômicas. Findo o prazo de um ano, se não feito outro acordo coletivo, o vale alimentação retorna para os R$ 300,00 do ano anterior.

 

CUIDADO: A convenção coletiva de trabalho não é tão soberana assim havendo cláusula que contraria a norma de ordem pública será considerada inválida.  As normas de ordem pública estão geralmente ligadas à segurança e medicina do empregado no ambiente laboral. Exemplo:

- Diminuir o intervalo mínimo de 01 hora para descanso e alimentação para 40 minutos. É uma cláusula contra a norma pública e o empregado terá direito a reivindicar 20 minutos extras todos os dias. Neste caso, o sindicado poderá ser o titular da ação e exigir o pagamento de todos os funcionários.

- Trabalhar no domingo sem direito a respectiva folga em dia de semana.

-Abolir o uso e determinada EPI, etc.

 

Voltando ao assunto de norma mais benéfica, havendo conflito entre normas, prevalecerá aquela mais favorável ao empregado. Em função deste princípio não há a chamada hierarquia das leis,  em questão de interpretação, a Constituição Federal tem valor menor do que uma Lei Ordinária ou  até mesmo Portaria do Ministério do Trabalho, deste que estas sejam mais favoráveis ao  empregado.

 Exemplo: 

-A Constituição determina jornada de 44 horas semanais e a Portaria do Ministério do Trabalho dispõe que em determinada atividade será de 36 horas semanais, prevalece a Portaria.

 

Neste caso, mediante a inspeção documental, o auditor poderá detectar alguma situação de entendimento contrário ao Princípio da Norma mais benéfica e mencionar  circunstância em  seu relatório, recomendando regularizar tal ocorrência e conforme o caso recomendar um estudo sobre a viabilidade ou não do risco.

 

3. PRINCÍPIO DA CONDIÇÃO MAIS BENÉFICA

 

Prevalece a condição mais vantajosa para o trabalhador

 

Se o contrato estabelecer condição mais benéfica ao trabalhador do que Lei, Convenção ou Constituição, prevalece a condição constante no contrato.

 

Quando falamos em condição, estamos nos referindo aos fatos reais existentes na empresa. Mesmo  nos casos de contrato verbal, prevalece a situação real do funcionário.

 

Exemplo 1:

 

ü  O contrato de trabalho celebrado entre empregado e empregador  prevê  carga horária semanal de 40 horas ou 8 horas de segunda a sexta. Pelo princípio da condição mais benéfica, mesmo que a Constituição Federal, CCT ou CLT estabelecerem 44 horas semanais, prevalece a carga horária  mais benéfica ao empregado: 40 horas semanais.

ü  Nestas circunstâncias, se o empregado trabalhar 44 horas semanais terá 4 horas extras semanais, por isso é importante a análise  do contrato de trabalho e ater-se a este princípio.

 

Exemplo 2:

 

ü  Se o contrato de trabalho estabelecer jornada de trabalho de 44 horas semanais para atividades que a Constituição Federal ou CCT estabelece jornada de 36 horas. Pelo princípio da condição mais benéfica prevalece as 36 horas da Constituição ou da CCT. O funcionário terá direito a 08 horas extras por semana.

 

O Auditor deverá  averiguar, através da análise documental se este princípio vem sendo cumprido, bem como se a condição mais benéfica  vem sendo aplicada.
(...)
Conteúdo editado em 03/11/2011, acesse atualizações no link abaixo.
 

Fonte: Obra - Manual prático de Auditoria Trabalhista, para ver mais, clique aqui!

 


O Portal de Auditoria/Escola de Auditoria, vem desde 2005, através de seus profissionais, propagando Auditoria Interna como ferramenta de gestão pelos países de língua portuguesa, transcendendo o território físico do Brasil,  dessa forma disponibilizamos aos nossos usuários e clientes conteúdos diversos sobre o tema, assim como diversos cursos para capacitação e desenvolvimento profissional.

Atualize-se de mais assuntos de Auditoria Interna através das redes sociais do Portal de Auditoria/Escola de Auditoria

 


Acesse nossos principais cursos sobre Auditoria Interna:

·         Auditoria Interna como ferramenta de gestão

·         Auditoria e gestão de riscos - SOX

·         Auditoria Interna em TI

·         Auditoria Interna em Logística

·         Auditoria Interna Operacional (Processos)

·         Auditoria Interna em RH e Terceirizações

·         Auditoria Interna Trabalhista - baseada em riscos

·         Como implantar um canal de denúncias

·         Como implantar a Auditoria Interna

·      Controles Internos

·         Documentação em Auditoria Interna - Papéis de trabalho e relatórios

·         Formação de Auditores Internos

·         Matriz de Riscos e Mapeamento de Processos na Auditoria Interna


Conheça nossos cursos online (com vídeo aulas)!

. Curso Online Auditoria Interna em Logística
.
Curso Online Como Implementar Auditoria Interna - Modelo de Relatório de Auditoria Interna
.
Curso Online Documentação em Auditoria Interna - Relatórios de Auditoria
.
Curso Online Auditoria Interna de Compliance - Boas práticas com foco na Lei Anticorrupção - 12.846/2013
.
Curso Online Auditoria, Controle Interno e Gestão de Riscos - Ferramentas Essenciais para melhores práticas de Governança Corporativa
.
Curso Online Auditoria Interna em RH e Terceirização -  Ferramenta eficaz para Prevenção e Redução de Passivos Trabalhistas
.
Curso Online Auditoria Interna Ferramenta de Avaliação - Ferramenta de Avaliação e Controle de Riscos Empresariais
.
Curso Online Formação de Auditores Internos - Teoria Metodologia e pratica para o exercício profissional da Auditoria
.
Curso Online Auditoria Interna Operacional -  Estoques, Contas a Pagar e contas a Receber


Downloads gratuitos de Auditoria Interna

·         Modelos de Relatório de Auditoria Interna para Recursos Humanos

·         Modelo de Manual de Implementação de Auditoria Interna

·         Modelo Papéis de Trabalho de Controles Internos - Mapeamento de Processos


Veja mais assuntos publicados sobre Auditoria Interna

Artigos publicados sobre Auditoria Interna

- Canal de Denúncia: ferramenta pode evitar perdas financeiras e danos à imagem da companhia
- 
O Papel da Auditoria Interna na Prevenção de Riscos.
- O que é a auditoria interna
- 
Como Auditar sua Logística Interna  
 

Formação de Auditores Internos

Formação de Auditores Internos

Plano e preparação da Auditoria Interna

Relacionamento entre auditor e auditado

Estrutura interna e funcional de um departamento de Auditoria Interna

     Auditoria Interna Operacional

Auditoria Interna Operacional

Programa de auditoria para bens patrimoniais

Como auditar sua logística interna

Objetivos e finalidades da Auditoria Interna Operacional

A auditoria operacional exige profissional qualificado nos aspectos administrativos


 

Cursos sobre Auditoria Interna


 

Publicações Recomendadas:

 

2- Manual de Auditoria Interna - Conceitos e práticas para imple6- Auditoria - Teoria e Prática1-Auditoria Interna Operacional - Teoria e Prática para Execução 5- Formação de Auditores Internos Relatórios de Auditoria Auditoria Fiscal do ICMS    

 

Cursos Online: Auditoria Interna | Formação de Auditores Internos  Como Implementar a Auditoria | Documentação de Auditoria Interna Auditoria, Controle Interno e Gestão de Riscos | Auditoria para Pequenas e Médias Empresas | Auditoria como Ferramenta de Avaliação | Auditoria Interna em Recursos Humanos | Contratos Terceirizados | Canal de Denúncias | Auditoria Interna de Compliance | Boas Práticas Internacionais - IPPF | Auditoria Operacional em Estoques | Auditoria de Logística  | Auditoria em Bens Patrimoniais | Auditoria em Contas a Pagar | Auditoria em Contas a Receber | Desvendando o Auditado | Auditoria em Fraudes Corporativas | Especial Formação de Auditores Internos Completo | Cadastro Ambiental Rural CAR | Tudo sobre Franquias |  Holding Familiar |